Recursos do PLN 1/22 retomam subvenções ao crédito para destravar linhas suspensas do Plano Safra

06/maio/2022
Tempo de leitura: 2 min..

O aporte de R$ 868,5 milhões é importante conquista para garantir a retomada do Plano Safra 2021/22 e o contratação de empréstimos com juros subvencionados, afirma Presidente da Federação

 

O PLN 1/22, que liberou R$ 868,5 milhões em crédito suplementar para recompor o Plano Safra 2021/22, parado desde fevereiro por falta de recursos, é de extrema importância para a retomada dos empréstimos das linhas oficiais de crédito com juros subvencionados, no âmbito do Pronaf e demais programas.

Neste momento, em que os custos estão em alta e os produtores estão tendo que desembolsar mais para financiar a mesma área em relação ao ano passado, o acesso aos recursos do crédito rural oficial, que tem um custo financeiro menor, é muito mais vantajoso para os produtores e, por isso, enfatizamos que essa retomada das contratações das linhas equalizadas do crédito rural é um sinal positivo para a agropecuária. A avaliação é do Presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Sistema FAESP/SENAR-SP).

O gerente do Departamento Econômico da FAESP, Cláudio Brisolara, explica que o governo federal, já no final de janeiro, teve que suspender as operações de crédito do atual Plano Safra, pois todo o recurso disponível para subvencionar os juros, ou seja, pagar a diferença entre as taxas do banco e os juros pagos efetivamente pelos produtores, se exauriu rapidamente. “Os custos de produção aumentaram e com os produtores precisando gastar mais para custear a mesma área da lavoura, acabaram consumindo mais recursos do Plano Safra, que acabaram antes do previsto. A elevação muito forte da SELIC e da inflação também impactaram no custo da equalização, demandando necessidade da suplementação de recursos”.

Brisolara salientou que, enquanto no crédito rural oficial as taxas de juros ficam entre 3,5% e 4,5% no Pronaf, em torno de 5,5% no Pronamp e de 7,5% para os grandes produtores, no mercado financeiro, sem a subvenção, os bancos operam empréstimos com juros na faixa de 16% a 20%. 

“O projeto trata de R$ 868,5 milhões, e com essa aprovação, serão destravados empréstimos entre R$ 18 bilhões a R$ 20 bilhões. Ainda temos mais dois meses de Plano Safra 2021/2022 e, portanto, a medida é fundamental para fortalecer nossa política agrícola e que os produtores tenham acesso a esses recursos para continuarem plantando, o que esperamos se concretize com a sanção presidencial ao texto aprovado do PLN 1/22”, ressaltou o Presidente da FAESP.

Fonte: Ricardo Viveiros & Associados (RV&A)

Compartilhe nas redes sociais!!

Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

map-markercross