CAU/SP propõe Residência Técnica e abre consulta pública sobre projeto

08/jan/2022
Tempo de leitura: 5 min..

Até o dia 20 de janeiro, está aberta a consulta pública para o Projeto de Residência Técnica em Arquitetura e Urbanismo do CAU/SP. Os arquitetos e urbanistas interessados podem consultar o texto base por meio deste link, e enviar por aqui suas contribuições.

A proposição de uma linha de fomento para Residência Técnica (RT) em Arquitetura e Urbanismo é um projeto estratégico do CAU/SP, que visa a incentivar a formação continuada, a qualificação profissional e a atuação do arquiteto e urbanista no setor público, de modo a reforçar o reconhecimento da Arquitetura e Urbanismo como política de Estado e ampliar o acesso da sociedade à Arquitetura e Urbanismo.

Esta proposta foi um dos assuntos desenvolvidos no seminário “Desafios para a Arquitetura Paulista: Diálogos sobre o Ensino e Formação em Arquitetura e Urbanismo”, realizado nos dias 07 e 09/12/21, em uma iniciativa do Colegiado das Entidades Estaduais de Arquitetos e Urbanistas (CEAU-CAU/SP), da Comissão de Ensino e Formação (CEF), da Comissão do Exercício Profissional (CEP), e que teve a contribuição de diversas comissões especiais do CAU/SP.

Paisagem cultural como instrumento de gestão

Na Mesa Cidades, Patrimônios e Paisagens, o arquiteto e urbanista Flávio Carsalade (UFMG) destacou a necessidade de se utilizar o conceito de paisagem cultural como instrumento de gestão do patrimônio no Brasil, levando-se em conta sua função social no que diz respeito aos conteúdos imateriais e às apropriações e vivências urbanas.

A arquiteta e urbanista Mônica Schlee (UFRJ) abordou a gestão de políticas públicas urbanas a partir da articulação intersetorial entre patrimônio, paisagem, meio ambiente e ordenamento territorial na formulação e revisão do Plano Diretor do Rio de Janeiro, na qual se chama atenção para a retirada do trecho que considerava como patrimônio paisagístico tanto as paisagens com atributos excepcionais como as paisagens decorrentes das manifestações e expressões populares. E a arquiteta e urbanista Aline de Figueirôa Silva (UFBA) apresentou os espaços públicos no Conjunto Arquitetônico, Paisagístico e Urbanístico do Centro Histórico de Salvador.

As arquitetas e urbanistas Luciana Schenk (ABAP), Mônica Viana (CPUAT-CAU/SP) e Vanessa Bello (CPC-CAU/SP) destacaram a transversalidade do seminário, além de projetos específicos desenvolvidos pelo CAU/SP como I Ciclo de Debates sobre a política urbana e ambiental à luz dos Estatutos da Cidade e do Estatuto da Metrópole da CPUAT-CAU/SP e o edital PAT-Cultural – Assistência Técnica do Patrimônio Cultural.

Desenvolvimento profissional, BIM e formação continuada

Na Mesa Desenvolvimento e Atuação Profissional, a arquiteta e urbanista Maria Jo Steck (AsBEA-SP) tratou dos honorários e do escopo de serviços dos profissionais e sua relação com a aplicação do BIM como ferramenta facilitadora para a elaboração do projeto e interface com o cliente. 

A arquiteta e urbanista Liana Perez (SASP) destacou ações do Sindicato dos Arquitetos do Estado de São Paulo frente ao ensino e formação, capacitação e promoção de cursos de aperfeiçoamento profissional.

O arquiteto e urbanista Gil Barros (FAUUSP) abordou a importância da formação continuada e da reflexão acerca das atribuições profissionais e responsabilidades técnicas junto ao CAU.

Os arquitetos e urbanistas Adriana Levisky (AsBEA-SP), Fernanda Querido (CEP-CAU/SP), Maurílio Chiaretti (SASP) e Fabrizio Rastelli (AsBEA-SP) trataram dos desafios futuros do desenvolvimento e atuação profissional, frente a questões de ética profissional; diversidade de gênero, geracional e racial; desigualdade social; e inovação tecnológica.

Residência em Arquitetura e Urbanismo

Na Mesa Residência em Arquitetura e Urbanismo foram apresentadas as experiências do: Curso de Especialização Lato Sensu em Assistência Técnica, Habitação e Direito à Cidade da Universidade Federal da Bahia (Residência AU+E/UFBA); do Curso de Especialização e Residência Técnica em Projetos e Obras Públicas da Universidade Estadual de Ponta Grossa (RESTEC POP – UEPG); e do Programa de Residência em Arquitetura e Urbanismo – Planejamento e Gestão Urbana promovido pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAUUSP) e pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano da Prefeitura Municipal de São Paulo (SMDU-PMSP).

A arquiteta e urbanista Heliana Faria Mettig Rocha (AU+E/UFBA) destacou a importância do tripé estruturado por gestão pública, universidade, e sociedade, com o objetivo de ampliar e aperfeiçoar a atuação dos profissionais de AU (autônomos, ONGs, escritórios públicos), e equipes jurídicas no campo da assistência e assessoria técnica de modo a atuar na inclusão social e aplicação de recursos públicos na promoção de melhor qualidade da habitabilidade e fortalecimento da cidadania. 

Os engenheiros civis Gabriela Mazureki Bahniuk e Carlos Emmanuel Lautenschläger  (RESTEC POP – UEPG) enfatizaram a construção da Residência por meio termo de cooperação entre a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e o Governo do Estado do Paraná, embasado pela Lei nº 20.086/2019. E as representantes da Residência FAUUSP + SMDU, arquitetas e urbanistas Maria Lucia Refinetti Martins (FAUUSP) e Carolina Heldt D’Almeida (Escola da Cidade, CAU/SP) trataram da importância da articulação entre módulos acadêmicos e práticos para a formação continuada dos profissionais e também para a sensibilização dos setores públicos em relação ao papel de arquitetos(as) e urbanistas.

Por fim, Ana Góes (ABEA) discorreu sobre a importância da interação entre instituições de ensino e a sociedade. Na sequência, a Presidente Catherine Otondo apresentou o texto base do Projeto de Residência Técnica do CAU/SP, objeto da consulta pública.

Saiba maisassista no canal do CAU/SP a versão integral do seminário

Atualizado em 05/01/2022
 

Compartilhe nas redes sociais!!

Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

map-markercross